Conheça a relação entre a alimentação da mãe e as cólicas do bebê

Alimentação materna pode ajudar a amenizar o problema

30 de abril de 2012 - por Administrador
Quer evitar as cólicas do seu bebê?

A chegada de um bebê muda a rotina da mamãe. Afinal construir novos horários para dormir, comer, fazer os serviços de casa, trabalhar e até mesmo tomar banho, se torna uma novidade diária, e há mães que acham que é um verdadeiro desafio lidar com “as horas”.  O maior medo, no entanto, sempre são as cólicas.

Nada de acrescentar alimentos indicados pelos conhecidos (vizinha, tia, amigo, etc), principalmente quando o assunto é cólica do bebê. Busque orientação de um profissional sempre, pois sem querer você poderá potencializar a dor.

Não se culpe achando que seu leite tem problema. Cólica é um processo natural de amadurecimento do sistema gastrointestinal dos bebês, e passa. Pode iniciar nos primeiros 15 dias e durar até o quarto mês, depende muito de cada criança. Amamentar com leite materno é sempre a melhor dica.

E vale usar estas dicas:

Quer perder peso logo? Nada de cortar as calorias logo após o nascimento do seu filho. Espere pelo menos de 6 a 8 semanas para moderar a alimentação sob orientação nutricional. Nesta fase seu corpo precisa das calorias para produzir adequadamente leite e a perda de peso ganho durante a gestação será um processo natural e gradual. Ter ansiedade para emagrecer faz com que a mamãe fique tensa: isso passa para o bebê e o deixa agitado.

Hidrate-se, pois a amamentação fará com que sinta mais sede e precisará tomar mais líquidos que antes. Ex: sucos de frutas (natural), água e chá de ervas (camomila, erva-doce, entre outros)

Evite o alto consumo de cafeína, pois seu bebê pode ficar agitado (1 a 2 xícaras pequenas/dia de café no máximo).

Evite sempre que possível ingerir álcool, pois afeta o apetite do bebê, diminuindo seu consumo de leite materno.

Se sua nutrição está saudável e a cólica do bebê não passa? Comece a excluir alimentos, como leite e derivados durante 1 semana, e acompanhe se houve melhora. Durante esta fase, opte por ingerir leite de soja, cereais matinais, peixes, nozes, verduras de folhas escuras, inhame, cará.

Alimentos ácidos também podem ser causadores de cólicas, mas acompanhe, porque nem todos os bebês podem ter sintomas por isso. Ex: laranja, caju, acerola, maracujá e abacaxi.

Alimentos causadores de flatulência na mãe podem causar cólicas no bebê: repolho, couve, couve-flor, brócolis, feijão, ervilha, lentilha, milho, alimentos muito condimentados, e doces concentrados.

E lembre-se que cólica pode ter várias causas como o modo e a posição que mama, intolerância ou alergia a algum componente do leite materno, tesão e estresse do ambiente. Logo, sempre é melhor consultar o pediatra ou um nutricionista.
 

Tags: